Diogo Chen, e a dupla Patrícia Santos/Tiago Abiodun, sagraram-se campeões nacionais

Chegou hoje ao fim, no pavilhão municipal de Vila Nova de Gaia, mais uma edição do Campeonato Nacional de singulares e pares, reservado ao escalão sénior.

No dia de ontem, o destaque da representação lisboeta, ficou a cargo da dupla formada por Patrícia Santos e Tiago Abiodun, que conquistaram o título de mistos, depois de baterem na partida decisiva, o par do CTM Mirandela, formado por Matilde Pinto e Rafael Kong, por 3:0 (7,8,9). O pódio ficou completo com Júlia Leal/Carlos Gonçalves (GDCS Juncal/ CTM Vila Real) e Olga Chramko/João Gomes (P Pargo/U Sebastianense).

Também ontem, o jovem Tiago Abiodun, desta feita ao lado do companheiro da equipa nacional, Rafael Kong, obteve a primeira posição, em homens, ao derrotar na partida decisiva, a dupla do GC Valbom, formada por André Cruz e Ricardo Castro, por 3:0 (10,9,8). Na terceira posição, classificaram-se Rui Ferreira/Miguel Pereira (LFC Lourosa/CAD Barbeita) e Silas Monteiro/Miguel Pinto (AR Novelense).

Nas mulheres, o título viajou para Mirandela, através da dupla Inês Matos/Matilde Pinto, que na final se impôs, vencendo por 3:0 (6,5,7), a formação do GDCS Juncal, constituída por Júlia Leal e Susana Costa. Destaque para Mariana Rodrigues (Boa HOR FC), que alinhando ao lado de Inês Fernandes (CP Alvito), ficou com o bronze, tal como Olga Chramko/Raquel Martins (P Pargo/U Sebastianense).

Nos singulares homens, Diogo Chen (Sporting CP) que venceu este título pela primeira vez em 2016, encontrou na final o detentor do mesmo, no caso o colega de clube, Tiago Abiodun, que acabou por ceder por 4:2 (9,-6,11,-12,9,2). Nas restantes posições de pódio terminaram dois antigos campeões: André Silva (GDCS Juncal) e Diogo Silva (Sporting CP).

Nas mulheres, Patrícia Santos (Sporting CP), voltou a evidenciar-se e terminou na segunda posição, apenas batida pela muito experiente Olga Chramko (P Pargo), por 4:0 (-2,-8,-3,-6). Júlia Leal (GDCS Juncal) e Matilde Pinto (CTM Mirandela), fixaram-se na terceira posição.

 

O Ténis de Mesa, é uma modalidade desportiva individual sem contato físico, classificada pela Direção Geral de Saúde, no grupo de “baixo risco”, no âmbito da estratificação de risco da pandemia de SARS-Cov 2 (orientação n.º 36. da DGS, de 25 de agosto de 2020).

Prática competitiva e em contexto de treino, na observância das orientações da Direção Geral de Saúde, n.º 14, 30 e 36.

Menu