ATM Lisboa: um caso evidente de boas práticas na expansão e desenvolvimento da atividade que conduziu esta temporada, às seis centenas de praticantes

A  ATM Lisboa, deu continuidade esta temporada à sua política de expansão e desenvolvimento que para já, e à data de hoje a conduziu às seis centenas de praticantes (que praticam verdadeiramente).

Com efeito, a equipa coordenada pelo presidente Carlos Ferreira, tem vindo a desenvolver com a ajuda de muitos, um trabalho árduo de divulgação da prática da modalidade que culminou com o atingimento esta época desportiva, de um recorde de praticantes dos últimos quarenta e quatro anos – desde que possuímos registos.

A praticante número 600, é a Íris Lua Michelle Joséphine Mathieu Moreno, de doze anos que representa o CTM Lisboa. À data de hoje, o total de agentes desportivos movimentados pela ATM Lisboa, é de 748, assim repartidos: Praticantes – 600; Treinadores – 46; Árbitros Regionais – 33; Árbitros Juvenis – 2; Delegados – 67. No que respeita a clubes filiados o seu número é atualmente de 42. Notável e sem paralelo a nível nacional, já que a ATM Lisboa, ocupa a primeira posição em todos os rankings quantitativos, em comparação com as suas 15 congéneres.

De salientar que em comparação com o primeiro ano do atual mandato, e o dia de hoje, o número de praticantes no universo da ATML, conheceu um incremento de 55,8% que corresponde a mais 215 praticantes. Comparando apenas com o final da temporada passada, a ATML, apresenta já um crescimento de 19,5%.

Até ao momento e sob a sua responsabilidade, a ATM Lisboa, promoveu a realização de 526 encontros integrados nas suas competições coletivas; e no Circuito Mini Pop – Carlos Olivença – quadro competitivo exclusivo a jovens sem vínculo federativo, conheceu nas 7 etapas já realizadas, 442 inscrições, tudo isto realizado sem qualquer apoio ou reconhecimento da estrutura nacional, que ao invés, sempre que pode e vá lá saber-se porquê, lesa gravemente o universo do ténis de mesa lisboeta.

Uma nota final, dirigida aos que fazem de conta que esta realidade não existe – e também nunca compreendemos porquê – e aos outros que em surdina, afirmam que os praticantes em Lisboa, são só “velhos”: nos três escalões etários que oficialmente existem: Seniores, Sub 19 e Sub 15, a ATM Lisboa, ocupa a primeira posição em todos eles, na comparação com as suas 15 congéneres.

Publicada a informação, resta-nos agradecer a todos os que diariamente contribuem para esta realidade feliz. Obrigado a todos. O Ténis de Mesa, somos todos!

 

O Ténis de Mesa, é uma modalidade desportiva individual sem contato físico, classificada pela Direção Geral de Saúde, no grupo de “baixo risco”, no âmbito da estratificação de risco da pandemia de SARS-Cov 2 (orientação n.º 36. da DGS, de 25 de agosto de 2020).

Prática competitiva e em contexto de treino, na observância das orientações da Direção Geral de Saúde, n.º 14, 30 e 36.

Menu