Fase de Qualificação Nacional realiza-se no próximo fim de semana

É já no próximo fim de semana que tem lugar a Fase de Qualificação Nacional, que concede oito lugares no Campeonato Nacional da 2.ª Divisão da próxima época.

No total, são 29 as equipas, que divididas em quatro zonas, vão procurar o acesso às competições nacionais. Refira-se que este universo representa 11 das 16 associações atualmente a operar. As zonas Norte e Centro Norte, vão ter lugar em Barcelos (ATM Viana do Castelo), ao passo que as Centro Sul e Sul, se realizam no pavilhão da Torre da Marinha (ATM Setúbal), curiosamente duas das associações que não apresentam qualquer representante na competição.

Os quatro representantes da ATM Lisboa, foram divididos pelas zonas Centro Sul (GD Pirescôxe “B” e Desportivo Monte Real), e Sul (Boa Hora FC “B” e CIR Laranjeiro). No caso do GD Pirescôxe “B”, foi integrado no grupo A, onde vai competir com CCD Estrela Zêzere (ATM Coimbra) e CP Cimentos Lis (ATM Leiria); ao mesmo tempo que o Desportivo Monte Real, compete no grupo B, conjuntamente com ADC Ega “B” e ACM Coimbra (ambos da ATM Coimbra).

Na zona Sul, o CIR Laranjeiro, integra o grupo A, juntamente com o CUD Porto Formoso (ATM São Miguel) e CF “Os Bonjoanenses” (ATM Algarve), enquanto que o Boa Hora FC “B”, no grupo “B”, tem como opositores, o GD Silveira (ATM Pico), o Externato António Sérgio (ATM Évora) e o GD Pic Nic (ATM Algarve).

Nesta primeira fase a ter lugar no sábado, apuram-se os dois primeiros de cada grupo para o mapa final a realizar no domingo, que depois se disputa por knock out, com os dois primeiros de cada série a assegurarem a promoção ao nacional da 2.ª Divisão.

À margem desta competição, mas diretamente relacionada com ela, o fato de a Federação Portuguesa de Ténis de Mesa, numa decisão que pretendendo ser salomónica, teve objetivamente como consequência o “rasgar” dos seus próprios regulamentos, ao permitir a presença de equipas “B” que à luz desses mesmos regulamentos não são elegíveis para participar.

Incompreensível e totalmente ilegal esta decisão revela uma absoluta desconsideração, por todos aqueles que no dia a dia, se empenham na construção de um Ténis de Mesa, maior e melhor. Outro aspeto totalmente negativo, tem a ver com a marcação da data para este evento, que coincide com o Campeonato da Europa de Veteranos, onde se encontram alguns elementos que integram algumas destas equipas, como é o caso do CIR Laranjeiro, que assim se vêm privadas da utilização desses atletas. Mais um sinal de total desrespeito, por parte da FPTM, relativamente aos agentes desportivos que a integram.

 

O Ténis de Mesa, é uma modalidade desportiva individual sem contato físico, classificada pela Direção Geral de Saúde, no grupo de “baixo risco”, no âmbito da estratificação de risco da pandemia de SARS-Cov 2 (orientação n.º 36. da DGS, de 25 de agosto de 2020).

Prática competitiva e em contexto de treino, na observância das orientações da Direção Geral de Saúde, n.º 14, 30 e 36.

Menu